MIMAR

O Projeto MIMAR é um projeto cofinanciado a 85% pelo programa Europeu Interreg MAC 2014-2020 que visa investigar a proliferação e potencialidade prejudicial das espécies não indígenas associadas às pressões antropogénicas, e as alterações climáticas na Região Macaronésica. Tem por objetivo melhorar o conhecimento existente sobre as espécies marinhas com potencial de impacto nos habitats da Rede Natura 2000, identificando os mecanismos que originam as suas proliferações e os vetores de introdução que utilizam. Assim sendo, a partir das suas principais conclusões, está previsto definir ações de monitorização, controle e mitigação, e planos para prevenir a introdução e possíveis impactos das espécies não indígenas. Termina em 2020.

MIMAR+

O MIMAR + um projeto cofinanciado a 85% pelo programa Europeu Interreg MAC 2014-2020, que consolida e expande os avanços do conhecimento adquirido no projeto MIMAR, tentando agrupar os agentes interessados sob a cobertura de um Observatório Marinho, dedicado a fazer uma avaliação real dos impactos gerados por espécies introduzidas e invasoras, HABs e as mudanças produzidas pelo aquecimento global e atividade humana em habitats marinhos. Propõe metodologias comuns de monitorização, controle e mitigação. Além disso, exportará todo o conhecimento científico adquirido e implementará um ambicioso programa de treino e consciencialização sobre as mudanças que estão a ocorrer na área marinha e sua conservação. Termina em 2022.

PLASMAR

O projecto Plasmar é um projeto cofinanciado a 85% pelo programa Europeu Interreg MAC 2014-2020 que pretende estabelecer as bases para a implementação da Directiva 2014/89 / UE relativa ao Ordenamento do Espaço Marítimo (OEM), de acordo com as características da região bio-geográfica da Macaronésia. NO âmbito do Plasmar foram desenvolvidas e implementadas metodologias científicas robustas, para incentivar diferentes atividades marítimas a partir de uma abordagem ecossistémica. Ou seja, apoiar o crescimento socio-económico das atividades marítimas com o planeamento marinho, garantindo produtos e serviços ambientais. Termina em 2020.

PLASMAR+

O projecto PLASMAR + é um projeto cofinanciado a 85% pelo programa Europeu Interreg MAC 2014-2020 que pretende apoiar o OEM com base no conhecimento científico e na abordagem ecossistémica, cobrindo toda a ZEE das regiões da Madeira, Açores e Canárias. Entre as suas ações, mencionar o sistema desenvolvido de apoio à decisão para o OEM-INDIMAR-, com um total de 8 atividades marítimas contempladas, nomeadamente energia offshore flutuante e pesca recreativa. Os principais beneficiários são a administração competente no meio marinho, os setores da economia azul e o campo da pesquisa e desenvolvimento. Termina em 2022.

  • Site em construção.

IMPLAMAC

O projeto Implamac é um projeto cofinanciado a 85% pelo programa Europeu Interreg MAC 2014-2020. Este projeto visa criar um observatório que gere dados quantitativos e qualitativos sobre o impacto de microplásticos e diferentes poluentes nas praias dos arquipélagos das Canárias, Cabo Verde, Madeira e Açores. Será desenvolvido um programa de monitorização de microplásticos e diferentes poluentes nas areias e águas das praias dos quatro arquipélagos, o que mostrará o grau de contaminação existente e sua evolução. O projeto também contempla contribuir para a melhoria do conhecimento do público em relação à contaminação por plásticos, incluindo a consciencialização da população. Termina em 2022.

MACAROFOOD

O MACAROFOOD é um projeto cofinanciado a 85% pelo Programa INTERREG MAC (2014-2020) que tem como objetivo a Valorização de produtos marinhos da Macaronésia: turismo, gastronomia e capacitação profissional. Termina em 2020.

MARISCOMAC

O MARISCOMAC é um projeto cofinanciado a 85% pelo Programa INTERREG MAC (2014-2020), no qual a DRM é o beneficiário principal, e tem como objetivo o Desenvolvimento de condições técnico-científicas, formação, transferência de tecnologia e conhecimento, visando fomentar a exploração e comercialização sustentável de mariscos na Macaronésia. Termina em 2020.

RASPA

O RASPA é um projeto cofinanciado a 85% pelo Programa INTERREG MAC (2014-2020), no qual a DRM é beneficiária, e tem como objetivo constituir uma Rede Atlântica para a vigilância sanitária dos Produtos Pesqueiros e Aquícolas.

MISTIC SEAS

Mistic Seas, um dos projetos mais icónicos cofinanciados diretamente pela Direção Geral Do Ambiente da Comissão Europeia, já vai na sua terceira edição e o consórcio prepara-se para o quarto MISTIC SEAS. O projeto Mistic Seas I foi galardoado pelos Atlantic Project Awards 2017, sendo que a cerimónia de entrega decorreu em Glasgow em novembro de 2017.

Os projetos Mistic Seas têm vindo a cimentar uma estrutura de cooperação entre Estados Membros para a sustentabilidade dos seus recursos marinhos através de programas de medidas e programas de monitorização que objetivam mitigar ou fomentar o bom estado ambiental marinho, bem como monitorizar um conjunto pertinente de pressões (e.g. integridade dos fundos marinhos, lixo marinho, ruido submarino, espécies não indígenas, contaminantes) e um conjunto de espécies, habitats ou ecossistemas selecionados como elementos indicadores sobre o bom estado ambiental marinho. Imprescindível será referir que o Bom Estado Marinho vai muito para além da conservação dos recursos marinhos, sendo a pedra basilar para a sustentabilidade de toda a economia envolvente, designadamente do sector pesqueiro, turístico, extração de inertes, aquicultura, energias alternativas, proteção da orla costeira. É neste âmbito que as estratégias marinhas constituem o eixo primordial da Estratégia do Mar, pois permite a sustentabilidade de todos os sectores ligados à economia do mar.

As Estratégias Marinhas de cada Estado Membro, e suas regiões autónomas, estão alinhadas com a Diretiva-Quadro Estratégia Marinha, sendo que esta última constitui a matriz orientadora sobre a qual são delineadas as estratégias marinhas nacionais e regionais, sendo no contexto da implementação desta diretiva que estes projetos têm vindo a ser cofinanciados.

O projeto MISTIC SEAS ‘Estandardização/harmonização de Indicadores e Critérios para a Macaronésia:  Alcançar bases comuns na monitorização da biodiversidade marinha na Macaronésia’, sendo que MISTIC é o acrónimo do título em inglês do primeiro projeto: Macaronesia Islands Standard Indicators and Criteria: Reaching Common Grounds on Monitoring Marine Biodiversity in Macaronesia.

O MISTIC SEAS I iniciou o desenvolvimento de metodologias de avaliação do descritor biodiversidade na sub-região da Macaronésia, com enfoco nas populações de três grupos funcionais de espécies marinhas de topo da teia trófica, designadamente aves, mamíferos (lobo-marinho, golfinhos e baleias) e repteis [tartarugas] . O MISTIC SEAS 2 prosseguiu com a implementação de testes dos programas conjuntos entre Portugal e Espanha desenvolvidos no primeiro projeto.

 

Os projetos Mistic Seas I e II demonstraram-se fulcrais na fundação de sinergias e cooperação a nível internacional e nacional, as quais permitiram progressos importantes na monitorização do meio marinho baseada numa estratégia comum entre PT e ES; permitiram igualmente reforçar na RAM a visão de que todos os serviços prestados pelos ecossistemas marinhos apenas têm sustentabilidade caso o bom estado ambiental marinho seja mantido e se tal for considerado como pilar central para todas as atividades económicas ligadas ao mar. O projeto MSI decorreu desde novembro de 2015 a fevereiro de 2017, tendo tido um orçamento total de €649.750,00, cofinanciado em 80% pela Comissão Europeia (DG ENV/MSFD 2016). O projeto MSII decorreu desde março de 2017 a fevereiro de 2019, tendo tido um orçamento total €1.300.000,00, cofinanciado em 80% pela Comissão Europeia (DG ENV/MSFD 2017)

O projeto Mistic Seas III, em curso, possui como principal objetivo o desenvolvimento de uma abordagem coordenada para a avaliação das teias tróficas, sendo que será alimentado pelos resultados obtidos nos primeiros dois projetos Mistic Seas (topo da teia trófica), bem como por informação existente sobre as populações de espécies de peixes comerciais (intermédio da teia trófica) bem como de informação existente sobre o fitoplâncton marinho (base da teia trófica). O projeto decorre desde março de 2019 até fevereiro de 2021, tendo um orçamento total de 1.085.601€, cofinanciado em 80% pela Comissão Europeia (DG ENV/MSFD 2018).

 

Fonte de informação:

http://mistic-seas.madeira.gov.pt/pt-pt (apenas pode ser aberto no Internet Explorer)

MISTIC SEAS III

O projeto MISTIC SEAS III, apoiado pelo GRANTS FOR AN ACTION (DG Environment) visa abordar a avaliação da Diretiva Quadro da Estratégia Marinha (MSFD) relativamente ao Descritor 4 (D4-Food webs) ao nível sub-regional da Macaronésia, seguindo os critérios estabelecidos na nova Decisão GES 2017/848 / CE da Comissão. Este projeto visa operacionalizar a D4, definindo uma abordagem sub-regional comum e também reforçar a cooperação com outras sub-regiões do Atlântico Nordeste, nomeadamente Golfo da Biscaia e sub-região da Costa Ibérica. A ação propõe uma abordagem comum, espécies e métricas para a Macaronésia, visando maximizar as sinergias entre indicadores, programas de monitorização e medidas já desenvolvidas para os D1 (biodiversidade) e D3 (espécies comerciais) em projetos anteriores. Termina em 2021.

RAGES

O projeto Rages, apoiado pelo GRANTS FOR AN ACTION (DG Environment), tem como objetivo desenvolver uma metodologia de análise de risco aplicada à Diretiva Quadro Estratégia Marinha (DQEM), contribuindo para uma estratégia coordenada na implementação da Diretiva nas sub-regiões da Costa Ibérica/Golfo da Biscaia, Macaronésia e Mares Célticos, a fim de permitir que os esforços sejam concentrados nas principais pressões antropogénicas que afetam as águas marinhas e que sejam tomadas as medidas necessárias para manter ou alcançar o Bom Estado Ambiental do meio marinho. Combinando padrões internacionais na gestão de risco com as etapas do processo de implementação da DQEM, será desenvolvida uma abordagem eficiente, eficaz em termos de custos e replicável para a implementação comum do DQEM no Atlântico Nordeste, juntando para o efeito as autoridades competentes dos 4 estados-membro, a comunidade científica e especialistas em avaliação de risco. Termina 2021.

iFADO

O projeto iFADO, financiado pelo programa INTERREG ATLANTIC AREA, pretende criar serviços marítimos à escala regional e sub-regional usando o espaço Atlântico como caso de estudo. Com o intuito de suprir as lacunas técnicas existentes, o iFADO utilizará a implementação da Diretiva Quadro Estratégia Marinha (DQEM) para demostrar a aplicação de produtos inovadores. O projeto combinará a monitorização tradicional com tecnologias de ponta, nomeadamente: satélites, modelação numérica e novas plataformas, tais como planadores e boias oceânicas. Termina em 2021.

PNRD

O Programa Nacional de Recolha de Dados de Pesca (PNRD) é de aplicação mandatória para os Países Europeus com atividade pesqueira. É cofinanciado a 80% pelo Fundo Europeu para os Assuntos Marítimos e Pesca (FEAMP) e efetua a monitorização dos principais stocks e atividade da pesca na RAM.

ESCOLA DE MARÍTIMOS

Pretende promover a conceção e implementação de uma plataforma que de forma integrada e eficiente que permita a articulação entre os departamentos do Governo Regional, os operadores ligados à economia do mar (públicos ou privados) regionais, nacionais ou internacionais, bem como a gestão das infraestruturas, dos equipamentos, do corpo de formadores e das redes de treino públicas e privadas. Neste contexto, o projeto contempla a criação e promoção de cursos adaptados para a área do mar, a disponibilizar pelo sistema regional de ensino e formação; que integrem o Sistema Nacional de Qualificações (SNQ) e em conformidade com os padrões regulamentados para a atividade profissional dos marítimos (RIM; STCW; STCW-F)

KIDS DIVE

Projeto integrado, 100% prático em que um grupo de 60 crianças interage com biólogos marinhos, divulgadores de ciência e instrutores de mergulho.

Contempla: Workshop-Biodiversidade, Workshop-Ameaças ao Meio Marinho, batismo de Mergulho (+ filmagem subaquática) e visitas a instituições de investigação ligadas ao Mar.

Datas: início do ano letivo 2020/2021. O Programa terá a duração de 3 dias.

Destinatários: crianças e jovens (8-17 anos)

“MAR DA MADEIRA: CONHECER, PRESERVAR E VALORIZAR O NOSSO MAIOR RECURSO”

Descrição geral dos objetivos do projeto:

  • Promover a biodiversidade marinha da Madeira e a importância de a conservar
  • Promover o uso sustentável do mar da Madeira de acordo com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas.
  • Sensibilizar a sociedade para o consumo sustentável de produtos aquícolas, dando a conhecer os trabalhos realizados pela DSEIMAR;
  • Dar a conhecer os recifes artificiais da Madeira, nomeadamente os navios afundados, explicando para que servem e o seu contributo para o acréscimo de bens e serviços, valor e diversificação da economia azul da RAM.
  • Sensibilizar para a poluição marinha e para a ameaça do lixo marinho contribuindo para a formação de uma sociedade “azul” mais participativa;
  • Divulgar as diretivas que regem o mar, nomeadamente DQEM (Diretiva Quadro da Estratégia Marinha) e o POEM (Plano de Ordenamento do Espaço Marítimo);
  • Coordenação e promoção de atividades subaquáticas no mar da Madeira, nomeadamente em estruturas flutuantes de aquicultura;
  • Orientar, apoiar e divulgar o projeto “Escola Azul”, junto das escolas, promovendo sinergias entre Municípios, Entidades Governamentais, Empresas Marítimo-Turísticas, Clubes Náuticos, Universidades e Centros de Investigação Marinha da RAM.

Ações e destinatários do Projeto

1. Sessões de esclarecimento e sensibilização subordinadas aos seguintes temas:

  • Mar da Madeira: conhecer, preservar e valorizar o nosso maior recurso
  • Biodiversidade marinha da Madeira
  • Do Mar ao Prato: a aquicultura na Madeira
  • Um peixe da “fundura” (peixe-espada preto)
  • Os Recursos pesqueiros da R.A.M.
  • O Marisco da Madeira: lapas e caramujos
  • Escolas e profissões azuis
  • Recifes artificiais: o que são e para que servem
  • Gelavista: organismos gelatinosos dos nossos mares e cuidados a ter
  • Investigando o pescado: visitas abertas aos laboratórios da DRM/DSEIMAR (ano letivo 2020/2021)

Ações:

  • Promoção de passeios de barco e atividades subaquáticas FISHBLUEDIVE- “mergulho à volta das estruturas flutuantes de aquicultura”, organizados em parceria com os centros de mergulho e as empresas de aquicultura;
    • Verão: saídas uma vez por mês começando em junho e com datas a anunciar em breve:
    • FISHBLUEDIVE semanais, durante o período do Verão para a sociedade em geral;
    • Inscrições e gestão dos passeios e mergulhos será efetuada pela DRM
  • Criação de um Manual de Conduta e Boas Práticas para o mergulho FISHBLUEDIVE, em parceria com as empresas produtoras

Inscrições na DRM.

Destinatários: Sociedade em geral e comunidade escolar